terça-feira, 27 de dezembro de 2011

De manhã esperando o meu dentista chegar (27/12/2011)

Já em casa à tarde tentando me alimentar (27/12/2011)

Em casa fazendo ''pose'' para a foto (27/12/2011)
Nada como a nossa caminha. Minha cachorra ficou doida para me ver e eu não podia chegar perto dela. Além disso, ela não podia dormir comigo na minha cama.

Falha: não falei no post anterior sobre a alimentação. Então vamos lá... Nos primeiros dias, você só pode comer líquido bem fino, frio/gelado. A primeira alimentação foi um pouco depois que eu estava no quarto, um sorvete.
Tentei tomar usando o copo, porém tentativa fracassada.
Segunda tentativa, usando a seringa pelos mínimos espações nos dentes e pelo canto na boca. Até que dá certo com ajuda de outra pessoa, mas demora muito. A força que você faz para tentar engolir é grande e cansa demais.
Terceira tentativa, no dia seguinte de manhã, seringa com sonda: Sucesso!!! (ufa!). Mesmo com a dificuldade de engolir, ainda assim, foi o mais prático.
Nessas 24 horas no quarto devo ter consumido em torno de 200ml de alimentação, no máximo. (minha irmã estava desesperada)
Sentia cansaço, sono e sem vontade nenhuma de comer.
Em casa nos primeiros dias (cerca de 10 dias) a alimentação desejada é que você tome 250 mL a cada 2 horas. A fim de que você não perca tanto peso.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Chegada ao quarto

Não se assustem (#difícil né?), mas como mexe muito na face, o rosto fica muitoooooo inchado. Para quem está vendo parece que está doendo... Gente, não doía nada. Realmente o que eu li era verdade: nenhuma dor. Apenas desconforto na respiração e a vontade de falar que era grande.
Ao chegar ao quarto eu entrei sorrindo (pense no sorriso amarrado e ainda com o queixo com o adesivo) e fazendo o sinal de que estava tudo bem. Minha irmã teve uma crise de choro ao ver o estado que cheguei e a enfermeira chefe levou ela pra fora... pois eu também comecei a chorar e eu não poderia ter fortes emoções. Até porque o corpo, após uma anestesia geral, está sensível e reequilibrando as funções vitais.

Primeira (e única) noite no hospital: a cada 2 horas compressa de gelo. (madrugada adentro meu pai e irmã se revesavam para aplicar a compressa) E alguém dormiu? NÃO. Não sei de quanto em quanto tempo entrava uma enfermeira com medicação (tudo na veia) e para limpar o nariz (o que é aquilo?!, coloca a sonda lá dentro do nariz e puxa as sujeiras: sensação horrososa).

No dia seguinte (27/12/2011) o aluno de odontologia que participou da cirurgia,  Dr. Igor Machado, que me acompanhou desde o primeiro dia no Gaac, foi me visitar (acho que ele chegou lá umas 10h e pouco): indicou os remédios a serem tomados e fez o pedido de liberação (minha saída estava marcada para as 14hs com a seguinte condição: retirar a sonda e fazer xixi no vaso).

As enfermeiras retiraram a sonda (acredito que foi colocada assim que eu apaguei no centro cirúrgico), o dentista saiu e eu corri para o banheiro...estava doida para chegar na minha casinha.
Fui levada na cadeira de roda até o carro. O balanço do carro me dava uma certa tontura. A cabeça parece pesada. Inclusive para ir ao banheiro precisei da ajuda da minha madrasta me segurando no braço e meu pai empurrando a bengalinha do soro.



O grande dia

Para a cirurgia necessário jejum de 12 horas. A cirurgia estava marcada para as 07 horas da manhã. Cheguei ao  hospital acompanhada do meu pai 01 hora antes (06 da manhã já estava lá morrendo de sono). Assinei as guias médicas e já fui encaminhada para o meu quarto para trocar de roupa e responder algumas perguntas sobre alimentação, alergia, algum medicamento que estava tomando...Troquei de roupa e aí começou o nervosismo. A perna tremia, o corpo tremia...as 07hs as enfermeiras vieram me buscar, cheguei no centro cirúrgico e ai conversei com os meus dentistas, conversei com as enfermeiras, com o anestesista e ai o anestesista colocou o remedinho na veia, continuei conversando e quando acordei já estava na sala de recuperação. Sentia muito frioooooooo , pedi cobertas(foram 7 cobertores de lã). A primeira reação que tive ao abrir os olhos foi colocar a mão no rosto e ai senti que estava inchado. Chamei do jeito que conseguia a enfermeira (a boca toda amarrada, o rosto inchado e ai já viu como sua voz sai bonita) ela veio e eu perguntei '' a cirurgia já foi feita?'' e ela ''sim, agora descanse, durma e depois vc vai para o seu quarto). Gente você acha que eu tinha alguma condição de dormir. Fiquei perguntando para as enfermeiras gracinhas do São Lucas como eu estava pois me senti a Angelina Jolie com os lábios do tamanho do mundo. Elas tiraram uma foto e eu me vi. Estava horrível (já já coloco a foto). Ainda conversei com elas, ri, chorei até que elas pediram para eu não falar mais pois não podia (alguém conseguiria não conversar após uma cirurgia dessas? vc quer saber como está , como foi e etc). Fiquei lá mais algumas horas não sei precisamente quanto tempo. Tentava cochilar, ficava olhando de um lado para o outro e nada... até que adormeci...acordei engasgada e balançando o braço....muitooo sangueee saindo da boca.. muitas fraldas para não babar na cama, na roupa. Nessa hora ouvi a voz do meu pai e da minha irmã querendo saber como eu estava, porque eu não estava no quarto ainda, se realmentre estava tudo bem.. e não podia falar, gritar...A cirurgia deve ter começado por volta das 08horas e durou 06 horas (acabou umas 14hs) e só fui para o quarto umas 19hs. Noção de tempo era o que eu menos tinha naquele momento.

domingo, 25 de dezembro de 2011

Algumas dicas

Antes de falar sobre o dia da cirurgia foi acrescentar algumas comprinhas utéis e necessárias.
Lista dos desejos:
Nebulizador - nos primeiros dias o nariz fica muito entupido, a respiração é dificultosa e ajuda muito utilizar a nebulização com soro fisiológico. 01 vidro de soro deu e sobrou. Havia comprado 03.
Fraldas de pano - não sei se aconteceu com tudo mundo. Eu babava muito, passava o dia inteiro com fraldas para não molhar a roupa toda. Comprei inicialmente 1 pacote com 4 ou 6 fraldas, não me recordo.
Depois minha irmá teve que comprar mais 2 pacotes pois gastava muito por dia e ai até lavar e secar, não a fraldas que aguentem..risos.
Seringas- compre muitas de 5ml e 20ml. No meu caso eu não tinha nem um espacinho entre os dentes então para alimentação, remédios foram meu prato, talher e copo.
Não tenho ao certo a quantidade mas segue achoq ue um número aproximado. 5ml (10 unidades - usava para o medicamento Feldeno - comprimido dissolvido com água), dipirona. 20 ml (20 unidades - essa usava para a GOSTOSA Cefalexina - antibiótico. Pessoal esse era o pior rémedio, muito ruim, enjoativo e ainda quando tinha que tomar de madrugada me dava muita ânsia de vômito ainda mais com a barriga vazia. Não tem outro antibiótico em solução no mercado).
As trocas de seringa eram necessárias pois o antiobiótico era muito gorduroso assim como a alimentação então elas travavam muito e não tinha o que fazer a não ser descartá-las. Tentamos lavá-las com aguá quente, água fria mas a gordura e o travamento continuavam.
Dica útil: separar as seringas para alimentos doces, alimentos salgados e para cada medicamento.
Sonda - usei juntamente com as seringas para toda a alimentação e medicação. tentei me alimentar no primeiro momento apenas com a seringa mas o rosto fica inchado e a seringa só ficava no começo da boca no canto e para engolir é bem complicado com a boca amarrada, usando a sonda o alimento e medicamento já cai mais perto da garganta. Quantidade 06 unidades. separadas da mesma forma que as seringas.
Triângulo (almofada) - cerca de 15 dias utilizei para dormir. É necessário dormir quase sentada pois como sua respiração está péssima se deitar vc pode se sentir sufocado, a salivação pode atrapalhar e sufocar tb. Dormir igual defunto é ruim demais. Nada de cabeça para os lados. As primeitras noites de sono são picadas pois a posição não é confortável e ainda tem os remédios madrugadas adentro.
Manteiga de cacau, bepantol - a boca fica muitoooooooo ressecada com a salina escorrendo e tbm pelo procedimento. Saia muita pele da boca por causa dos machucados do ressecamento.
Bolsas térmicas - Bolsas frias nos primeiros dias para desinchar.

Se eu lembrar mais alguma coisa eu completo.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Perfil antes da cirurgia
No dia 05/12/2011 dei entrado com o pedido ao plano de saúde, foi necessário apresentar o laudo do dentista com os procedimento a serem realizados juntamento com os raio-x abaixo.
No dia 13/12/2011 saiu o tão esperado resultado: PROCEDIMENTO AUTORIZADO.
Agora era correr para colocar os ganchos, organizar a agenda, verificar os horários dos profissionais, agenda do hospital e partir para a cirurgia.
No dia 14/12/2011 fui colocar os ganchos (procedimento que durou cerca de 2 horas).
Agradeço a Clínica Orthos (Dr Wells) e Inamá (auxiliar bucal) que realizaram o procedimento.
Esses ganchos incomadaram muito nos primeiros dias (3-4 dias) machucaram um pouco a boca, dificultaram a mastigação, mas nada que as massinhas não ajudem.
Inicialmente a cirurgia estava marcada para o dia 20/12/2011 mas por motivo de não está com todos os moldes da cirurgia pronto foi remarcado para o dia 26/12/2011.
Fiquei muito nervosa esses dias entre a marção e remarcação pois era meu sonho perto da realização e os nervos estavam a flor da pele.
No dia 24/12/2011 fui colher sangue para separar bolsas no banco de sangue do hospital caso fosse necessário a utilização e o hospital me ligou confirmando a cirurgia.
Agora era o caminho sem volta.Tudo confirmado!

Um breve histórico

Meu nome é Cynthia, brasiliense, 28 anos. Minha história com o aparelho ortodôntico começou aos 8 anos de idade (acho que foi isso); usei todos os tipos de aparelho para tentar corrigir a mordida classe II parei de usar aos 14 anos de idade mas quase nada mudou. Aos 27 anos descobri que o meu caso era cirúrgico através do GAAC ( instituição sem fins lucrativos, que possui profissionais dentistas que estão fazendo especializações, uma delas é a cirurgia buco maxilo ou ortognática). Voltei a usar aparelho e após 18 meses (carência do plano de saúde) fiz a cirurgia, realizada no dia 26/12/2011.
Esse blog é destinado as pessoas que já fizeram, irão fazer, pessoas que precisam de um estímulo para continuar no seu sonho, tirar dúvidas, compartilhar experiências, contar o meu dia a dia no pós operátorio.
Os procedimentos realizados foram: mentoplastia (http://www.youtube.com/watch?v=mt7V0mhtkH4), Osteotomia Le fort I e Impactação de maxilar (http://www.youtube.com/watch?v=XK4I3fp2az0) corrigindo assim o sorriso gengival (http://www.youtube.com/watch?v=-WUP1x5pXh8&feature=related)

Os vídeos são apenas para entenderem os procedimentos. A equipe que realizou a cirurgia foi Dr Elder Carneiro (especialista em cirurgia buco maxilo facial) e os alunos de especialização Dr Igor Machado e Drª Giovana.
O hospital onde foi realizada a cirurgia foi o Hospital São Lucas. (atendimento da equipe de enfermeiros, anestesista, auxiliares foi excelente)